Fasano

Qualidade, modernidade e tradição
A história do Fasano começa em 1902, quando Vittorio Fasano, italiano de Milão e patriarca da família, chega ao brasil e inaugura a Brasserie Paulista, na Praça Antonio Prado, centro histórico de uma São Paulo elegante e engravatada. Com a morte de Vittorio, seu filho mais novo, Ruggero, foi enviado à Itália pelos irmãos para completar os estudos na Escola Real de Moncalieri, próxima a Turim. Ruggero voltaria ao país em 1937 e logo reassumiria o legado gastronômico da família, reinaugurando o Fasano na rua vieira de carvalho, também no centro da cidade. A mística dos Fasano iria se revezar em outros endereços, seguindo a trilha do crescimento da cidade.

A confeitaria Fasano, na Rua Barão De Itapetininga, tornou-se um dos endereços mais concorridos de São Paulo, local obrigatório para o ritual do chá da tarde da alta sociedade. Nos anos 50, o Fasano reabriu no mitológico endereço da antiga Brasserie Paulista. E, na década de 60, chegou à Avenida Paulista, no Conjunto Nacional. Neste novo espaço de gastronomia e entretenimento, Ruggero Fasano abriu uma confeitaria e instalou no jardim de inverno uma casa de espetáculos cuja história, para muita gente da cidade, evoca uma gostosa nostalgia. Ali celebraram-se festas de formaturas e desfilaram atrações internacionais, como Nat King Cole, sob os aplausos de celebridades como David Niven, Marlene Dietrich e Ginger Rogers. O Príncipe de Gales, Fidel Castro e o presidente norte- americano Dwight Einsenhower também desfrutaram da animada noite do Fasano.

Em 1982, Fabrizio Fasano, filho de Ruggero, executivo com formação em administração de empresas nos Estados Unidos e ex-proprietário de uma indústria de bebidas, convoca Rogério, seu filho, da quarta geração dos restaurateurs, para abrir um novo restaurante no Shopping Eldorado. "Apostamos na maturidade de São Paulo, que começava a ficar mais exigente no paladar", lembra Fabrizio, a quem cabe igualmente o mérito de ter compreendido em que sentido a cidade iria expandir seu requinte gastronômico.

Na época, Rogério alimentava planos de fazer cinema, mas a forte ligação que tinha com o avô Ruggero pesou na sua decisão de assumir, sob a supervisão experiente de Fabrizio, a tradição de bem receber da família. Um novo Fasano, pequeno e em versão mais requintada, surge na Rua Amauri. Em três anos, o restaurante se transfere para Rua Haddock Lobo, com um projeto arquitetônico que faz jus à proposta ambiciosa da cozinha: a de ser um marco na melhor gastronomia da cidade.

O restaurateur Rogério, ao lado de pai Fabrizio, comanda o grupo que, cem anos depois de chegar ao Brasil, cumpre agora o percurso natural que leva da mesa à hotelaria. Em 2003, a abertura do Hotel Fasano São Paulo marcou um novo desafio para o grupo e a realização de um sonho de Rogério. Hoje, a qualidade Fasano se expande pelos quatro hotéis da rede, em São Paulo, Rio de Janeiro, Fazenda Boa Vista e Punta Del Este, e os restaurantes Gero, Parigi, Nonno Ruggero, Nonno Ruggero Cidade Jardim, Trattoria e Parigi Bistrot.

Website desenvolvido por Estúdio Aretha